Arquivo da categoria: Guia de Londres

YO! Sushi

Prepare-se para ver essa logomarca laranja pelos quatro cantos de Londres. O esquema comida-numa-esteira-rolante ainda não é muito conhecido por aqui (tem um japa assim no Shopping Iguatemi, em São Paulo!), mas o YO! Sushi faz sucesso na Inglaterra há 15 anos. Só na capital são 24 unidades espalhadas! Pra citar algumas: tem dentro das lojas de departamento Selfridges, Harvey Nichols; dentro dos shoppings Whiteleys e Brent Cross; nas estações de trem de Paddington, St Pancras e Victoria e por aí vai. Até no aeroporto de Heathrow tem!

É muito simples: os pratinhos coloridos vem passando por você numa esteira e você pega o que quiser. Cada cor corresponde a um preço e ao pedir a conta, seus pratos vazios serão contados e pronto! Pá-pum. Pra facilitar ainda mais, ao alcance das suas mãos estão hashis (palitinhos!), shoyu, wasabi, gengibre, pratinhos, guardanapos, e até duas torneirinhas mágicas, com água com gás e sem, que você consome no esquema refill. Pra chamar o serviço é só apertar o botão vermelho. O esquema é “sou independente” e é uma opção muito boa pra almoçar ou jantar na cidade!

Se você quiser algum prato do menu que não está passando de jeito nenhum na esteira – ou que um espertinho lá do outro lado pegou antes de você! – é só pedir pra um dos sushimen que ficam trabalhando na sua frente e abastecendo o caminho com pratos fresquinhos feitos na hora. Isso vale principalmente para os pratos quentes e temakis, que eles fazem sob demanda mesmo.

Duas dicas importantes:

– é fácil, MUITO fácil empolgar e querer pegar só os pratinhos mais caros e apetitosos e rapidamente ver a sua conta ficar mais e mais cara. Por isso a sugestão é estipular quanto se quer gastar em média pra ir controlando a medida que vai raptando os pratinhos do trajeto ambulante.

– no site do YO! você vê as promoções que eles sempre fazem como: esquema rodízio aos domingos, pratos com preço promocional nas segundas, e até desconto pra estudante de 25%!!! Pra ter o desconto de estudante tem que cadastrar o número da sua carteirinha internacional no site e levar o voucher.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Guia de Londres

Electric Cinema


Imagem via.

Se o primeiro post sobre Londres foi sobre um assunto totalmente prático (metrô!) e que todo mundo que visitar a cidade vai achar útil, o segundo é bem mais “dispensável” e não deve apelar para todos os corações turistas. Um programa diferente e que muitos devem achar totalmente desnecessário, mas não custa nada recomendar pros cinéfilos de plantão né?

É o seguinte: que tal assistir um filme em um dos cinemas mais antigos da Inglaterra? Não só é cheio de história e lindo de morrer, mas a experiência é um upgrade do que estamos acostumados a viver nas grandes redes de salas de cinema mais usuais.

O Electric Cinema foi aberto em 1910 e apesar de um ou outro tropeço, funciona praticamente sem parar desde então. No começo dos anos 2000, foi totalmente restaurado e ganhou como vizinho/companheiro o restaurante Electric Brasserie e a Electric House, um clube privado que faz parte da famosa rede Soho House. O cinema fica no bairro de Notting Hill, que serviu de cenário pra um dos meus filmes mais queridos: Um Lugar Chamado Notting Hill. Inclusive dá pra ver a fachada na cena de abertura do filme. Está na famosa Portobello Road, que fica lo-ta-da aos sábados, dia do Portobello Market.


Portobello Road em um dia de semana, bem mais tranquilo!

Lá você pode escolher entre 3 tipos de assentos… As três primeiras fileiras são mais baratas, mas nem por isso menos confortáveis: poltronas bem largas de couro, com espaço para o colega ao lado passar sem você achar que ele vai cair sentado do seu colo. Os lugares nas outras fileiras são ainda melhores: tem um pufe na frente pra você colocar o pé pra cima. E se você quiser aproveitar ainda mais, dá pra pegar um sofázinho lá no fundo pra você assistir o filme junto com a pessoa amada. ♥

É um programa totalmente não-usual e claro que não é uma prioridade! Mas as vezes a gente está cansado de bater perna e turistar e quer simplesmente relaxar e passar uma noite tranquila. Nesse caso, recomendo demais uma passada no Electric, acompanhada de uma boa taça de vinho que dá pra comprar no bar que tem no cinema. :)

Deixe um comentário

Arquivado em Guia de Londres

Mind the gap

Chegando em Londres, desça as escadas para qualquer uma das 270 (!) estações de metrô da cidade e quando estiver na plataforma esperando o trem chegar, quem sabe você não ouve aquela famosa frase que está carimbada em produtos de merchand do London Underground? A frase foi criada em 1968 para advertir os passageiros sobre o vazio entre o trem e a plataforma que ocorre principalmente quando dita plataforma é curva – sim, acontece!

Andar no Tube em Londres (é assim que o metrô é comumente chamado) é uma aula incrível: são tantos fatos interessantes que ajudam a contar a história do primeiro sistema de metrô do mundo que dá pra ficar literalmente horas viajando no assunto. Ainda mais se você é fanático por mapas que nem eu!

A começar pelo mapa do London Underground, um dos mapas mais icônicos do mundo. A primeira versão do mapa foi criada em 1931 pelo projetista Harry Beck. Nele as estações não seguem a localização geográfica exata, mas facilitam a leitura ao usar cores diferentes para cada linha e identificar onde é possível trocar de rota. O mapa é totalmente intuitivo e muito fácil de usar. O sistema de metrô é dividido em zonas concêntricas, de 1 a 9, sendo que as zonas 1 e 2 abrangem a região central de Londres. As passagens variam de preço de acordo com as zonas usadas. Por exemplo: é mais caro ir da zona 2 até a 6 do que ficar só na 1 e 2.

E pra comprar as passagens? O mais prático é comprar um cartão pré-pago Oyster, que pode ser carregado com dinheiro ou com Travelcards que valem por um dia, uma semana ou um mês. O cartão é “inteligente” e além de sempre de dar descontos, ele calcula o valor mais barato pra sua viagem. Por exemplo, se você comprar um ticket unitário pra dentro da zona 1 paga £4.30*, enquanto com o Oyster, o mesmo trecho sai por £2.00*. Além disso, se você abusar num dia, o máximo que você paga é £8.40* que é o valor de um Travelcard diário, que te deixa andar o tanto que quiser, tanto de metrô quanto de ônibus: as passagens do Oyster são integradas com o sistema de ônibus.

Ahhhh, os ônibus. Os famosos e lindos ônibus vermelhos de dois andares! Eles também são uma opção totalmente viável para se deslocar. Quase todos os pontos de ônibus tem mapas que mostram qual ônibus pegar para ir pra algum lugar. Aí é só traçar sua rota e torcer os dedos pra ter um lugar bem lá na frente no segundo andar e ver Londres de um ponto de vista privilegiado! Só tem que ter cuidado pra não distrair e perder o ponto de descida. :)

E sim, não é a coisa mais barata do mundo, mas vale muito a pena usar esse sistema de transportes eficiente pra ganhar um pouco de tempo ao se deslocar de um ponto a outro e assim aproveitar ao máximo sua viagem. Recomendo também baixar apps no celular do metrô que informam em tempo real a situação de cada linha e te ajudam a fazer a rota mais rápida.

*preços de Fevereiro de 2012

1 comentário

Arquivado em Guia de Londres

London Calling

Cresci com um mapa bem colorido de Londres em cima da minha cama. Todo dia antes de dormir ficava em pé na cama olhando pra ele e traçando novos caminhos, lembrando de lugares visitados e tentando localizar os pontos conhecidos. Antes de dar prosseguimento a esse post, vocês precisam saber duas coisas sobre mim. A primeira é fácil, já entreguei de cara no começo do post. Eu amo mapas. Amo amo amo mapas. Ilustrados, digitais, nos guias, nos pontos de ônibus, nas estações de metrô, no google maps, de qualquer jeito eu amo.

{um pedaço do meu mapa de cabeceira}

A segunda tem a ver com o título do post: é que nasci em Londres e morei lá até os 5 anos. Depois que vim de vez pro Brasil, já foram muitas visitas e como não poderia ser diferente, tenho um amor incondicional pela cidade! Já ensaiei escrever sobre Londres aqui no blog inúmeras vezes, principalmente por que sempre recebo pedidos de dicas, mas com uma das minhas melhores amigas indo visitar o país (go Marina!) resolvi que estava na hora de dedicar mais tempo ao meu Guia de Londres, que venho aperfeiçoando há um tempo, mas ainda tem muitooo o que melhorar!

{foto-montagem de photobooth, eu pequena + Lady Di + Tower Bridge ao fundo}

Então está oficialmente aberta a temporada/categoria Guia de Londres aqui no blog, com dicas da cidade, transporte, programas, lojas, restaurantes…. de lugares que fui e outros que ainda quero conhecer! Conto com a colaboração de todo mundo que quer conhecer ou já conheceu e tem outras dicas preciosas também!

6 Comentários

Arquivado em Guia de Londres