O papel da roupa e o porque do desfile

Hoje pela manhã, uma chamada no portal de notícias da Globo me chamou a atenção:

“Dá pra usar na rua? E na noite? ‘Época’ explica roupas da SPFW”

Cliquei na mesma hora, achando que ia ler um artigo explicando o que na verdade quero explicar aqui. Que desfile em semana de moda não foi inventado para o público consumidor final, que o importante é passar uma idéia mais ampla sobre o conceito da coleção, que o objetivo do desfile não é desfilar roupas pra você ir trabalhar, ou às compras, ou passear no shopping… Mas o que vi foi o contrário: uma tentativa de desmerecer o trabalho de todos envolvidos numa produção e execução de uma coleção e um desfile, com comentários do tipo: “Penduricalhos demais, não?” ou “Muita geometria e pouca usabilidade. Alguém acha que essas roupas são confortáveis?” e até mesmo “Um encontro ou uma festa descolada são perfeitos para esse terninho moderno”. Terninho moderno? OI?

Imagem do site da revista Época

Que tipo de roupas usamos no dia-a-dia? Calças jeans? Camisetas? Tenis? Que graça teria assistir uma São Paulo Fashion Week feita de jeans e camisetas, o uniforme geral das massas?

Hoje em dia, vemos desfiles ao vivo na TV, com direito a comentários de pessoas que gostam e entendem do assunto e também pessoas que não entendem do assunto e caíram de para-quedas numa fila A de sala de desfile ou no estúdio do GNT entre o lounge da Tam e da Melissa no prédio da Bienal. O mundo da moda, os desfiles, antes restritos a uma pequena fatia da sociedade, agora estão aí, prontos pra serem vistos por quem quiser. E isso é ótimo. Mas temos que tomar muito cuidado, pra não pegar o bonde andando, e quer sentar na janelinha. Se os jornalistas e editores  das revistas e jornais de grande circulação estão interessados em incluir matérias sobre moda em suas pautas, isso é muito bom. Mas eu espero mais do próximo artigo… Este tipo de artigo só contribui para a imagem desatualizada de que moda é fútil e que os grandes designers de moda estão “distantes” da realidade das pessoas, quando na verdade, são eles os responsáveis por todas as tendências das massas, que demoram as vezes anos para atingir toda a população.

Hussein Chalayan é um dos designers de moda mais respeitados do mundo, mesmo não criando roupas “convencionais” e “usáveis”. Moda é muito mais do que o que a roupa que você usa para ir trabalhar! Pense nisso.

Para ler o artigo original, publicado no site da revista Época, clique aqui.

7 Comentários

Arquivado em Uncategorized

7 Respostas para “O papel da roupa e o porque do desfile

  1. Fernando Nunes

    Muito bom o artigo! Adorei, sou um dos que luta pela democratização da moda – desfiles, preços e tal. Moda definitivamente não é futilidade, e um jornalista que vive ‘dela’, falando sobre ‘ela’ tem obrigação de dizer que moda é comércio, indústria, o setor que mais emprega no Brasil, atrás apenas da construção civil. O quinto maior setor textil do mundo e o primeiro da América Latina.
    “Movimento pela democratização da moda”

    • zazoza

      Exatamente Fernando! A democratização da moda começa com pessoas escrevendo artigos um pouco mais interessantes do que esse da época, tentando passar informação pra quem não conhece o assunto, e não reforçando este estereotipo batido! :)

  2. Kathy

    Parabéns pelo post! É exatamente isto que as pessoas que não estudaram academicamente ou não trabalham com moda precisam entender. E não é com matérias desse estilo do portal da Globo ou da Época (provavelnente escritas por alguém que não tem estudo ou experiência com moda) que vai mudar ou esclarecer a real intenção dos desfiles para as pessoas. A pergunta que eu mais escuto quando descobrem que sou formada em moda é: “Porque os desfiles são daquele jeito? Não tem como usar aquelas roupas…”
    Então, da mesma forma como é necessário alguém que entenda de economia para escrever sobre economia, o certo seria alguém que realmente entende de moda escrever os artigos sobre moda, mesmo que o texto seja voltado para o público final.

  3. Lorys

    Muito bacana Zazoza! Parabéns! Eu acho lamentável esse tipo de matéria apresentada por vc neste post! Pior que não acontece só com Moda, mas com diversos outros assuntos, em diversas áreas! Parece que cada vez mais as pessoas pegam o bonde andando e querem sentar na janelinha! Parece que hoje em dia todo mundo virou especialista de tudo, mas na verdade é especialista de p**** nenhuma! E aí, o que deveria servir de referência e de informação para o grande número de pessoas que lêem revistas como a Época, acaba virando uma grande bobagem!

    Enfim! Que os colegas Jornalistas, se não especialistas nos assuntos sobre os quais estão escrevendo, pelo menos façam pesquisas e corram atrás de informações para não sairem por aí falando bobagens!

  4. Lorys

    PS: gostaria de ver os comentários da repórter da Época sobre o desfile de Cirnansck. O que ela falaria da mesa? Rs!

  5. ana cath

    É isso aí! Moda é design, e consequentemente arte. Se tem valor o design de uma xícara, porque nao teria o de uma roupa? Isso aí Isadora, democratizar é bom, mas tem limite, né? Naõ dá pra sair falando besteira sobre o que não entende… aiaiaiai.
    Gostei do seu post!
    bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s